Copyleft em grandes editoras?

Sempre achei que as editoras teriam que rever seu modelo de negócios. Estou cansado em ir em livrarias e encontrar livros desatualizados, especialmente na área tecnológica. Geralmente e-books circulam mais rápido que livros impressos. Em geral conteúdos eletrônicos (wikis, fóruns, blogs) também circulam mais rápido. Estamos na era que informação se deprecia muito rapidamente e por outro lado, uma informação, bem atualizada, bem escrita e atualizada tem grande valor.

Acredito em modelos de negócios baseados em serviços informacionais, como gráficas rápidas como o Lulu; Ensino a Distância, quando é baseado em materiais didático em formato eletrônico; Wikis para produção de informações livres e copyleft para maior circulação de informação e produção de conhecimento, de forma dinâmica e atualizada. Vejo que a livre permissão da cópia – inclusive por meios reprográficos – será uma forma de resolver o problema de cópias ilegais por estudantes, que são um dos principais “consumidores” de informação.

Para minha surpresa, hoje recebi um e-mail da Pearson, que é uma grande editora. Ela anuncia as vantagens do copyleft e de um novo portal voltado para autores que queiram publicar seus conteúdos de forma livre.

Enfim, achei bastante interessante. É um sinal de adaptação para os novos tempos que virão.

Sobre Marcelo Akira

Professor de redes e tecnologias educacionais
Esta entrada foi publicada em Pessoal e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>